Na rivalidade entre irmãos, título de campeão vai para a família Bento

O Campeonato Amazonense de Futebol feminino será decidido no próximo sábado. Até aí tudo bem, fato normal no esporte. A novidade, porém, é que em cada banco de reservas no jogo decisivo estará um filho de João Bento e Expedita Bento, casal que saiu de Lábrea, no interior, em 1972, sem imaginar que teria tanta participação no futebol do Amazonas.
O jogo final será disputado entre Iranduba e 3B. No banco de reservas do Iranduba estará o treinador João Carlos Bento, mais conhecido como João Carlos Cavalo, primogênito da família Bento. No outro banco, do 3B, estará o filho mais novo Sidney Bento. E na arquibancada, com o coração dividido, estarão João Bento e dona Expedita, torcendo, inexplicavelmente, pelos dois. “Mas eu acho que o time do João Carlos vai ganhar. Tem mais experiência”, arrisca o patriarca da familia mostrando que o conhecimento de futebol está no DNA dos meninos.
João Carlos, aos 52 anos, é mesmo o mais experiente. Como jogador, iniciou a carreira no Rio Negro mas logo se transferiu para o Matsubara, do Paraná, onde jogou por 10 anos. Daí em diante, circulou por vários clubes do Sul do País até ir para na Suiça, onde ficou por três temporadas até retornar ao Brasil e encerrar a carreira no Nacional, em 2004.
Como treinador, a lista de clubes é bem maior. Depois de passar por quae todos os clubes do Amazonas, alguns de outros Estados, e andar por Dubai e pelo México treinando times locais, Cavalo se fixou novamente no Amazonas e encontrou no futebol feminino um nicho novo para exercer sua profissão. “É bem diferente. As mulheres são mais sensíveis, mais voluntariosas e assimilam melhor as instruções”, comentou o treinador.

Do outro lado

Sidney Bento, que ficará no banco oposto concorda com o irmão. Aliás, foi a influência de João Carlos Cavalo que o levou para o futebol. “Acompanhava ele nos treinos e acabei atuando como jogador. Mas sem perder o mano mais velho de vista”, conta. Depois de andar por alguns clubes, de atuar como auxiliar técnido do próprio irmão, Sidney Bento assumiu seu próprio destino como treinador em 2014, primeiro nas divisões de base e depois no time principal do Holanda, de Rio Preto da Eva.
Para ele, enfrentar o irmão será mais um desafio. Reconhece que a experiência de João Carlos pode pesar para o lado do Iranduba. Mas se depender da opinião de outro membro da família, o 3B pode ser considerado favorito. “O tio Sidney é mais inteligente no futebol. Sabe criar situações diferentes em campo. Desde o tempo de jogador ele é assim”, atesta Morony Bento, o sobrinho que até tentou mas não teve sucesso no futebol.
O pai, João Bento, só foi ao estádio uma vez na vida. Quando João Carlos ainda era jogador. Mas neste fim de semana promete estar presente na Colina para ver os dois atuarem. Promete que será imparcial na torcida, mas vê um certo favoritismo no time do filho mas velho.
Foto: Paulo Roberto Pereira

Deixe um comentário